A sinuca em janeiro

A CLS, o Masters e o novo WST Pro Series

Corrigindo as informações do meu último post: o Masters não está acontecendo em Alexandra Palace. O local é o mesmo local ao qual estamos acostumados: Arena MK em Milton Keynes. Esta situação é meio frustrante. Estou feliz que há torneios de sinuca acontecendo, mas a ausência de uma plateia tira um pouco da diversão do esporte.

Antes do Masters, no início deste mês, a temporada recomeçou com outra edição da Championship League Snooker. Contudo, o formato não é o mesmo da última vez. Há sete grupos de sete jogadores e todos jogam contra todos num mesmo grupo. Cada partida é uma melhor de cinco, o que significa que não há mais empates. Os jogadores ganham um único ponto por cada vitória. O vencedor de cada grupo irá compor o grupo dos vencedores do qual o campeão da Championship League de 2021 deve emergir. Lembre-se de que este volta a ser um evento convidativo como era no passado. E o aspecto estranho desta CLS é que, liderar o grupo marcando mais do que outros não é suficiente para progredir para a próxima fase. Os quatro melhores jogadores se classificam para a fase de play-offs do grupo. Isso significa que, para se classificar para a próxima fase, um jogador precisa vencer a semifinal e a final nos play-offs. Aqueles que terminarem em segundo, terceiro, quarto e quinto têm outra chance juntando-se a um trio de novos jogadores no próximo grupo. Levei um tempo para digerir isso. A razão é que os jogadores do grupo 1, por exemplo, terão mais chances de classificação do que os jogadores que entraram na competição no grupo 2 e, obviamente, isso é estranho.

Três vencedores vindos de 3 grupos já são conhecidos: Zhou Yuelong do grupo 1, Graeme Dott do grupo 2 em sua segunda tentativa, e John Higgins do grupo 3 em sua terceira tentativa. E sim, você entendeu corretamente, já que Dott e Higgins foram originalmente colocados no grupo 1. Então, para alguém que esteja passando por dificuldades financeiras ou talvez apenas tentando obter tempo de mesa, é uma boa ideia começar no grupo 1 e tentar permanecer na competição até o grupo 7. John Higgins é um bom exemplo. Ele começou no grupo 1 e ganhou £5.000 terminando em segundo. Em seguida, ele ganhou £3.100 no grupo 2 antes de se qualificar em sua terceira tentativa no grupo 3, ganhando £6.400. O resultado é que, treinado, jogou muito bem no Masters e chegou à final. Foi uma estratégia incrível. De qualquer forma, a CLS recomeça em fevereiro, então vou mudar o assunto de volta para o Masters.

John Higgins e o jovem jogador Yan Bingtao são os dois finalistas. Judd Trump e Jack Lisowski testaram positivo para COVID-19 e não competiram. Gary Wilson e Joe Perry os substituíram e perderam na primeira rodada para Kyren Wilson e David Gilbert, respectivamente.

O primeiro finalista, Yan Bingtao, derrotou o número dois do mundo Neil Robertson na primeira rodada por 6-5. Foi um grande resultado para alguém que fez sua estreia neste prestigiado torneio. Yan Bingtao joga o jogo como um veterano. Ele tem o temperamento certo para o jogo e parece lidar elegantemente com a frustração sempre que ele faz uma jogada ruim. Ele manteve sua compostura durante toda a competição, e isso é dizer muito, já que ele passou por três frames decisivos (negras) para chegar à final. A primeira negra foi contra Neil Robertson, a segunda contra Stephen Maguire e a terceira contra o atual campeão Stuart Bingham. Nada mal para alguém que só tem 20 anos. Este jogador chinês segue firme na lista dos 16 melhores do mundo e é um forte candidato a ser o primeiro chinês a se tornar campeão mundial. Ele também fez a maior tacada de sua carreira (141) em sua partida nas quartas-de-final contra Maguire.

O segundo finalista é, como escrevi antes, John Higgins. A última vez que ele chegou à final foi em 2006! Ele derrotou Mark Allen por 6-5 na primeira rodada e depois jogou a melhor sinuca que já o vi jogar em anos, vencendo Ronnie O'Sullivan por 6-3 nas quartas-de-final. Vimos cinco tacadas centenárias consecutivas naquela partida: Higgins começou com uma tacada de 145 no terceiro frame (a maior tacada do torneio até agora), seguida por uma tacada de 110. O'Sullivan respondeu com tacadas de 125 e 103. Higgins fez seu terceiro centenário (134) no frame 7 e conquistou a vitória vencendo os frames 8 e 9. As estatísticas da partida exibidas durante o intervalo da sessão eram insanas: O'Sullivan estava perdendo de 3-1 com 97% de acerto, e Higgins estava ainda melhor com 98%. O Foguete não foi capaz de aguentar tanta feitiçaria.

John Higgins

Higgins jogou contra David Gilbert nas semifinais, mas apesar de fazer dois centenários, o escocês não produziu a mesma performance do dia anterior. No entanto, ele jogou muito bem e é um forte favorito para colocar as mãos no troféu Paul Hunter pela terceira vez. Parece que a "classe de 92" ainda não acabou. Isso é bom para sinuca e muito inspirador para "pessoas comuns" como eu. Será que veremos Higgins ganhar o primeiro grande torneio de 2021? Caso ele ganhe, será que isso vai servir de inspração seus "colegas de classe"? Espero que sim.

Há uma folga no calendário depois do Masters? Não! O novo torneio, WST Pro Series, começa na segunda-feira, 18 de janeiro. Esta é uma competição semelhante a CLS que não realoca jogadores em outros grupos para lhes dar outra chance. Stephen Hendry tinha a intenção de participar deste evento, mas ele desistiu. Na minha opinião, ele quer jogar na frente de uma plateia. Entendo o ponto de vista dele. As coisas não estão "normais". Os torneios são disputados a portas fechadas e isso não vai mudar por um bom tempo. O WST Pro Series chegará ao fim em março.

O último torneio deste mês movimentado é o German Masters. Judd Trump é o atual campeão. Entre os 16 melhores jogadores do mundo, Neil Robertson, Mark Selby, Kyren Wilson, Mark Allen, Yan Bingtao, Thepchaiya Un-Nooh e David Gilbert não conseguiram se classificar, e O'Sullivan não gosta de jogar eliminatórias, então ele não entrou neste evento. Em outras palavras, Trump é um grande favorito para vencê-lo novamente.

Crédito das imagens: wst.tv