A final do Aberto do País de Gales

Será que o trigésimo oitavo título vem aí?

O último evento da série Home Nations aconteceu num resort chamado Celtic Manor, no país de Gales. Pausa para uma breve aula de geografia. O país de Gales é uma nação bem pequena (20.779km² de acordo com a Wikipedia) que tem aproximadamente 3 milhões de habitantes. E eles têm o próprio idioma, o galês, embora apenas uma parcela da população tenha domínio dessa língua. Um outro símbolo do país de Gales é o dragão vermelho que aparece na bandeira do país por razões históricas (é claro que eu não vou entrar em detalhes aqui). Então, de volta ao assunto, o Aberto do País de Gales define quem são os 16 jogadores que irão competir no próximo torneio, o Cazoo Players Championship na semana que vem. A única ausência entre os melhores jogadores do mundo é a do australiano Neil Robertson, que decidiu não competir por motivos pessoais.

E agora temos uma agradável surpresa. O primeiro finalista é o norte irlandês Jordan Brown, que assegurou sua vaga no Players Championship ao derrotar Stephen Maguire por 6-1 na semifinal. Essa foi sua primeira semifinal e a mais importante vitória de sua carreira. Para chegar à final, Brown conseguiu vitórias importantes contra Luo Honghao (4-0), Sam Craigie (4-3), Alexander Ursenbacher (4-3), Mark King (4-3) e ninguém menos do que Mark Selby nas quartas-de-final. O jogo foi decidido na última bola preta. Selby estava perdendo por 3-1 e mesmo assim deu um jeito de levar a partida para uma negra, quando errou a bola preta no final (a bola do frame e do jogo). Brown fez quatro tacadas acima de 50 e uma tacada centenária para derrotar Selby por 5-4. 

Jordan Brown trouxe o seu jogo "A" para a partida contra Stephen Maguire. Ele jogou com autoridade e fez tacadas grandes, decisivas, que relegaram seu oponente escocês a permanecer sentado assistindo. Brown jogou como como os melhores jogadores do circuito, mostrando boas estatísticas antes do intervalo: 100% de acerto nas bolas longas e 98% de acerto em geral. Maguire empatou a partida logo no começo (1-1), e parou por aí. Jordan Brown fez tacadas de 135, 52, 56, 113 e 59, que o ajudaram a chegar na primeira final de sua carreira. Brown se saiu bem no German Masters também, perdendo para Barry Hawkins por 5-1 nas quartas-de-final. Como havia escrito em posts passados, eu gosto de ver caras novas disputando as fases finais dos torneios. Isso acrescenta bastante ao esporte e também nos diz que até os azarões são perfeitamente capazes de jogar no nível que os melhores do mundo jogam nos dias de hoje.

Jordan Brown chega pela primeira vez a uma final

O segundo finalista é o atual campeão mundial Ronnie O'Sullivan. Ele conseguiu chegar à final de mais um evento da série Home Nations. O seu desempenho melhorou quando comparado aos campeonatos que ele disputou no ano passado. Dessa vez ele não estava de brincadeira. Ele pareceu mais focado e determinado a vencer ao longo da semana (a única exceção foi a partida contra Jimmy White). Ele derrotou Robbie Williams, Jimmy White, e Martin Gould, todos por 4-0 nas primeiras três rodadas, e então perdeu um único frame na quarta rodada contra Zhou Yuelong, da China. Não houve quartas-de-final para o campeão mundial, já que seu oponente, Ali Carter, teve que abandonar a competição por motivos de saúde. É uma pena, dado que Carter havia derrotado John Higgins e Mark Allen no mesmo dia, na terceira e quarta rodada, respectivamente.

O'Sullivan jogou a semifinal contra Mark Williams em mais confronto entre os membros da classe de 92 (os veteranos do jogo). Esses caras não irão a lugar algum tão cedo. O'Sullivan ganhou o jogo confortavelmente por 6-1, despachando o galês em seu próprio país. O problema foi que Mark Williams não deu conta de crescer no jogo em momento algum; a porcentagem de acerto dele era inferior a 80% ao final da partida. Williams ganhou o primeiro frame com uma tacada de 73, mas a partida acabou com o mesmo placar da outra semifinal. O'Sullivan fez tacadas de 102, 77 e 54, venceu os próximos dois monótonos frames seguintes e liquidou a partida com uma tacada de 69.  

O'Sullivan vai jogar sua terceira final da temporada e da série Home Nations tendo perdido apenas 2 frames. Ele perdeu na final do Aberto da Irlanda do Norte por 9-7 para Judd Trump e também perdeu na final do Aberto da Escócia por 9-3 para Mark Selby. Dessa vez, contudo, eu não acho que ele irá perder uma final pela terceira vez seguida. Não apenas por ser o grande favorito, mas porque ele tem se mantido muito focado e tem jogado bem ao longo de toda a semana. Seu oponente, Jordan Brown, irá jogar a partida de sua vida e ele não tem absolutamente nada a perder. Se Brown conseguir dar um jeito de jogar da mesma forma com que jogou a semifinal, ele vai dar muito trabalho a O'Sullivan. Se ele perder, O'Sullivan irá conquistar o trigésimo oitavo título no ranking de sua carreira. O que quer que aconteça, Brown irá competir de novo junto com a nata da sinuca no Players Championship, e isso é uma tremenda proeza.

Crédito da foto: wst.tv
Imagem de fundo de Pete Linforth por Pixabay