E a temporada se aproxima do final

Notícias do mês de março

Este é um post sobre assuntos variados do mundo da sinuca. O fim da temporada está chegando. O mundial está chegando e o reinado efêmero do campeão pode acabar em breve. Passou rápido, muito rápido. Uma nova fase do WST Pro Series começou esta semana e o torneio continuará até sua conclusão no dia 21 deste mês. Logo em seguida acontecerá o Cazoo Tour Championship, o prestigiado evento no qual apenas os 8 melhores da temporada irão competir. Depois, veremos as últimas fases da Championship League ainda no mês de março. O mundial começará na segunda quinzena de abril, caso não haja nenhum imprevisto. Judd Trump será o grande favorito neste mundial, mas isso não quer dizer que será fácil para o melhor do mundo conquistar o bicampeonato. Se John Higgins continuar a jogar como ele jogou no Cazoo Players Championship, com certeza o escocês irá se tornar campeão mundial pela quinta vez. Um outro candidato a se tornar campeão mundial é Mark Selby, que jogou bem ao longo da temporada e conquistou dois títulos. Selby se dá bem com o formato do campeonato mundial. Acho pouco provável que Neil Robertson venha a se tornar campeão pela segunda vez. Por algum motivo o jogador australiano não joga tudo aquilo que sabe no mundial. E por último mas não menos importante: também acho pouco provável que o atual campeão mundial consiga defender seu título, ainda mais após um jejum de títulos ao longo de toda a temporada. Não que lhe falte talento - isso ele tem de sobra - mas só talento não basta para vencer o mundial. E claro, existe a possibilidade de algum outro jogador se tornar campeão, mas de novo, acho muito improvável.

Mudando de assunto. O Aberto de Gibraltar aconteceu na semana passada. É lógico que não aconteceu em Gibraltar, mas em Milton Keynes. Judd Trump consagrou-se campeão novamente. O melhor do mundo não apenas defendeu seu título, mas ganhou um bônus de £150.000 por ser o jogador com a melhor campanha na série de eventos europeus BetVictor (European Masters, Championship League, German Masters, Shoot Out, Welsh Open e Gibraltar Open). Trump conquistou o vigésimo segundo título no ranking na carreira e o quinto na temporada. Impressionante! Na verdade, essa é uma marca histórica: Trump é o primeiro jogador que conseguiu ganhar cinco ou mais títulos no ranking numa única temporada pela segunda vez. Ele ganhou seis títulos na temporada passada (um recorde) e já ganhou cinco títulos na temporada atual. Com relação ao torneio em si, Trump foi imbatível desde o começo. A máquina de ganhar troféus derrotou sem maiores dificuldades Robbie Williams (4-1), Akani Songsermsawad (4-1), Robert Milkins (4-0), Alexander Ursenbacher (4-0), Mark Allen (4-0), Matthew Selt (4-1) e Jack Lisowski (4-0) na final. Ao contrário dos demais campeonatos que ele venceu, Trump não teve nenhum oponente a altura desta vez. Acho que ele quis compensar a frustração por ter sido eliminado de maneira precoce no Cazoo Players Championship. O outro finalista, o jovem Jack Lisowski, teve que digerir uma terceira derrota consecutiva numa final para Judd Trump. Jack já havia perdido por 9-2 na final do BildBet German Masters e por 10-7 na final do Matchroom World Grand Prix. Que isso lhe sirva de motivação para levar o esporte ainda mais a sério e para se dedicar ainda mais aos treinos. Pelo andar da carruagem, Jack Lisowski e Kyren Wilson serão os principais rivais de Trump nas próximas temporadas.

Trump ganhou mais um campeonato

Mudando de assunto de novo. Há dois campeonatos que começaram e ainda não terminaram. O primeiro é o WST Pro Series, que ainda está na primeira fase. A segunda fase começará na semana que vem e terá quatro grupos com oito jogadores cada. Os dois primeiros de cada grupo se classificam para a fase seguinte. A terceira e última fase terá um único grupo com oito jogadores e a decisão será por pontos corridos (eu acho). A última fase acontecerá ainda este mês. O outro campeonato ainda em curso é a recorrente Championship League Snooker (CLS). Só resta o grupo 7, no qual estão Kurt Maflin, Yan Bingtao, Neil Robertson, Anthony McGill, David Gilbert, Mark Williams e Joe Perry. Mark Williams é persistente. O tricampeão mundial entrou na competição no grupo 4 e vai tentar se classificar em sua quarta tentativa. O vencedor do grupo 7 irá se juntar a Zhou Yuelong, Graeme Dott, John Higgins, Judd Trump, Kyren Wilson e Ali Carter no grupo dos vencedores. A fase final da CLS será disputada nos dias 1 e 2 de abril. Assim como o Aberto de Gibraltar, ambos os eventos não tem muito prestígio, mas são importantes para manter os jogadores e os entusiastas ocupados. O último evento realmente importante antes do mundial será o Cazoo Tour Championship que irá ocorrer em Newport, País de Gales, e será uma bela prévia do que esperar em Sheffield no mês de abril. Além da correria pelos títulos que restam, há algo mais importante em jogo: os 16 primeiros no ranking estarão automaticamente classificados para o mundial sem passar pelas eliminatórias. No momento em que vos escrevo e de acordo com a WPBSA, Anthony McGill, Zhou Yuelong, Stuart Bingham e Joe Perry estão na briga pela última vaga.

E por último o assunto mais polêmico. Pra quem não sabe, a sinuca é um dos esportes mais democráticos que existem. O circuito principal não é masculino, ao contrário do que muitos pensam. Também não há restrições de idade: tanto adolescentes quanto pessoas com mais de 50 anos de idade competem juntas no circuito. Acontece que nenhuma mulher jamais conseguiu ingressar no circuito por meios convencionais (Q School, por exemplo). A boa notícia é a seguinte: duas jogadoras consagradas no circuito feminino ganharam vagas no circuito principal na próxima temporada. As contempladas foram Reanne Evans e Ng On Yee. A inglesa Reanne Evans é simplesmente a melhor jogadora de todos os tempos, ela já ganhou o mundial feminino 12 vezes! A asiática Ng On Yee também não fica muito atrás; ela é tricampeã mundial. Não se discute o talento e a competência das jogadoras do circuito feminino, mas é inegável que o circuito feminino, o World Women’s Snooker (WWS) Tour é bem menos competitivo do que os demais eventos de qualificação para o circuito principal, nos quais há ampla concorrência. Isso foi visto por algumas pessoas no mundo da sinuca como um privilégio, ou como concorrência desleal, já que há muito mais homens praticando o esporte e, portanto, ingressar no circuito principal através do circuito feminino é, pelo menos na teoria, bem mais fácil. Eis a minha opinião sobre o assunto: eu acho uma boa ideia, por incrível que pareça. Do meu ponto de vista, o futuro do esporte como o conhecemos está ameaçado por outras razões e eu não me atrevo a entrar em detalhes sobre esse assunto neste post (eu posso ser abduzida por expressar certas opiniões na internet). O fato é que as moças irão jogar sob enorme pressão. Elas terão que provar que merecem as vagas como profissionais e isso não é uma tarefa fácil. Se as moças não forem capazes de competir de igual pra igual com os demais jogadores do circuito, elas serão criticadas por potencialmente terem tirado a vaga de outros jogadores. É lógico que não será culpa das moças, já que nenhuma delas pediu para se tornar profissional. De qualquer forma, espero que elas se preparem com muito afinco e se dediquem de corpo e alma aos treinos. Aconteça o que acontecer, será um prazer vê-las competindo!

As duas novas profissionais do circuito

E por falar em competição, foi divulgada a lista dos 16 jogadores amadores que irão disputar as eliminatórias para o mundial deste ano. A lista está disponível no site da WPBSA. As jogadoras inglesas Reanne Evans e Rebecca Kenna estarão na disputa. Além delas, o garoto prodígio belga Ben Mertens e o adolescente francês Brian Ochoiski também estão na briga pela chance de competir no mundial. O formato das eliminatórias será o mesmo do ano passado: todas as partidas serão melhores de 11, com exceção da última rodada, que será uma melhor de 19. A ação começa no dia 5 de abril e termina no dia 14.

Crédito das imagens: wst.tv