O clube dos 16

Começa o mundial de 2021

Depois de muito lutarem nas eliminatórias, 16 jogadores garantiram vaga no campeonato mundial e irão jogar no teatro dos sonhos, o Crucible, em Sheffield. O campeonato mundial de sinuca, o Betfred World Championship começa neste sábado (17 de abril) e é o último torneio da temporada 2020/2021. As eliminatórias aconteceram entre 5 e 14 de abril no English Institute of Sport, também em Sheffield, e ao todo 112 jogadores (isso mesmo) competiram entre si por uma das 16 vagas disponíveis para o mundial. Os sobreviventes irão se juntar ao "pelotão de elite" na composição dos 32 jogadores que irão jogar pelo título mundial. Para quem ainda não sabe, os 16 melhores do mundo estão automaticamente qualificados sem a necessidade de jogar nas eliminatórias. O oponente de cada um dos 16 primeiros no ranking é um dentre os 16 que disputaram as eliminatórias.

É tradição que o atual campeão mundial jogue duas sessões no primeiro dia. Ronnie O'Sullivan irá começar a defesa do título contra Mark Joyce, que derrotou o brasileiro Igor Figueiredo na quarta rodada das eliminatórias pelo placar de 10-7. Embora não vá jogar no teatro dos sonhos, Figueiredo conseguiu a grande proeza de permanecer no circuito na próxima temporada. Parabéns ao nosso compatriota! Voltando a partida de estreia do campeonato mundial, Mark Joyce, apesar de já jogar há 15 anos como profissional, é um debutante no Crucible, mas sem querer desmerecê-lo, tudo leva a crer que ele será uma presa fácil para o atual campeão mundial. Imaginem o tamanho da zebra caso O'Sullivan perca logo na primeira partida! Nós já vimos esse filme em 2019.

O número 1 do mundo Judd Trump irá enfrentar o compatriota Liam Highfield. Trump é o grande favorito para levar a taça esse ano, já que o campeão mundial de 2019 ganhou 5 títulos apenas nesta temporada. Contudo, não se deve subestimar Highfield, que deixou para trás o chinês Zhou Yuelong (número 17 no ranking) na última rodada das eliminatórias pelo placar de 10-7.

O atual favorito da "imprensa especializada", o australiano Neil Robertson, enfrentará o chinês Liang Wenbo. Não vai ser fácil. Wenbo não anda jogando muito bem ultimamente, mas de qualquer forma despachou Lu Ning numa vitória por 10-7 para conseguir a vaga no mundial. Neil Robertson tornou-se o atual campeão do prestigiado Tour Championship no mês passado, depois de uma vitória contundente na final contra O'Sullivan pelo placar de 10-4. Parece óbvio que as madeixas do australiano estão lhe ajudando a jogar de maneira impecável.

Mark Selby irá enfrentar o norueguês Kurt Maflin, que venceu Robert Milkins por 10-4 na última rodada das eliminatórias. Essa partida tem tudo pra ser bastante disputada. Maflin chegou até às quartas-de-final no ano passado, quando perdeu para Anthony McGill. Ele irá proporcionar um belo desafio para Selby, que perdeu a chance de conquistar o tetracampeonato ano passado na semifinal quando assistiu seu grande rival O'Sullivan - que perdia por 16-14 - produzir uma virada histórica para vencer o jogo por 17-16.

John Higgins, que se tornou campeão do Players Championship com uma belíssima vitória por 10-3 na final (nem vou dizer quem foi a vítima porque já perdeu a graça), vai enfrentar o chinês Tian Pengfei, que derrotou o escocês Graeme Dott na última rodada das eliminatórias por 10-7. Higgins é um forte candidato a conquistar o pentacampeonato por causa da maneira que vem jogando e pelo seu retrospecto no teatro dos sonhos. Higgins foi finalista em 2017, 2018 e 2019.

Kyren Wilson, o finalista do ano passado e duas vezes campeão da Championship League Snooker irá enfrentar seu xará, Gary Wilson. Gary Wilson foi semifinalista em 2019, ocasião em que perdeu para Judd Trump por 17-11. Gary Wilson venceu facilmente Steven Hallworth por 10-3 nas eliminatórias para voltar a competir no teatro dos sonhos. Quanto a Kyren Wilson, já se sabe que ele tem talento de sobra para se tornar campeão mundial, e quem sabe não será essa a sua chance?

Kyren Wilson, o campeão da CLS

Shaun Murphy, o campeão mundial de 2005, irá enfrentar Mark Davis, que conseguiu a classificação com uma emocionante virada contra Jamie Clarke. Davis perdia por 7-2 e mesmo assim deu um jeito de ganhar o jogo por 10-8. Espera-se que Murphy vença, mas de novo, não vai ser fácil. O escocês Stephen Maguire, que andou meio apagado nesta temporada, irá enfrentar Jamie Jones, que despachou o chinês Li Hang por 10-5 nas eliminatórias. A estrela da China, Ding Junhui, irá enfrentar ninguém menos do que Stuart Bingham, o campeão mundial de 2015. O fato de Bingham ter disputado as eliminatórias diz muito sobre o nível técnico dos jogadores nos dias de hoje. Além disso, Bingham teve que despachar o jovem belga Luca Brecel para voltar a jogar no Crucible. Esse sim será um confronto imprevisível.

O jovem campeão do Masters, o chinês Yan Bingtao, irá enfrentar Martin Gould. Gould conquistou a vaga ao derrotar o chinês Bai Langning nas eliminatórias por 10-5. Essa partida acontecerá amanhã, ao mesmo tempo em que o atual campeão jogará na outra mesa. Barry Hawkins enfrentará o compatriota Matthew Selt, que venceu com folga Scott Donaldson nas eliminatórias por 10-3. Hawkins voltou aos postos mais altos do ranking nesta temporada e normalmente joga bem no Crucible. Ele foi finalista em 2013 e semifinalista em 2015. Resumo da ópera: é bem possível que ele vá muito bem de novo. 

O campeão mundial de 2018, Mark Williams, irá enfrentar o jovem debutante Sam Craigie, que conseguiu a classificação ao derrotar o grande talento chinês Zhao Xintong por 10-9. Por razões que eu desconheço, as pessoas não esperam nada de Williams nos campeonatos, mas é exatamente por isso que ele é perigoso. O tricampeão mundial joga tranquilo o tempo todo, e isso é fundamental para aguentar os 17 dias da maratona que é o mundial. Outra incógnita é Mark Allen, o atual Campeão dos Campeões, que enfrentará o chinês Lyu Haotian. Haotian despachou o jovem Chang Bingyu nas eliminatórias com uma vitória por 10-6. Allen é um mistério no esporte. Ele é jovem e tem muita habilidade, mas por algum motivo não ganha campeonatos com muita regularidade.

Jack Lisowski, que apareceu em três finais nesta temporada, irá enfrentar o veterano e experiente Ali Carter, finalista em mais de uma ocasião. Carter conseguiu a classificação com uma vitória por 10-4 contra o suíço Alexander Ursenbacher. David Gilbert enfrentará o compatriota Chris Wakelin, que derrotou o chinês Xiao Guodong nas eliminatórias por 10-7. Por fim, o escocês Anthony McGill irá enfrentar Ricky Walden, semifinalista em 2013. McGill foi semifinalista ano passado, ocasião em que perdeu para Kyren Wilson por 17-16 num frame decisivo recheado de drama com mais de 1 hora de duração. Walden garantiu a vaga no teatro dos sonhos com uma vitória contundente por 10-5 contra Ryan Day, o atual campeão do Shoot Out.

Crédito da imagem: wst.tv
Imagem de fundo de PIRO4D por Pixabay